Policial

Bodycams: teste falha e segunda empresa é desclassificada

Blog Demais Estados Nordeste

Na mais recente reviravolta relacionada à aquisição de câmeras corporais, conhecidas como “bodycams,” para os policiais do estado da Bahia, a segunda empresa inicialmente selecionada foi desclassificada pela Secretaria de Segurança Pública do estado (SSP-BA). A notícia veio à tona nesta terça-feira, 12 de setembro, levando a uma nova fase no processo.

A empresa desclassificada havia conquistado o segundo lugar no processo de licitação, tendo seu equipamento analisado após a desclassificação da primeira empresa. Como resultado, agora é a vez do terceiro colocado ter seus documentos minuciosamente examinados pela secretaria.

Os testes das câmeras de segurança embutidas no uniforme dos policiais da Bahia, foram realizados em agosto e não atenderam aos padrões exigidos, de acordo com informações da Secretaria de Segurança Pública do estado (SSP-BA).

Como consequência, a SSP-BA está focando na análise da documentação da terceira empresa classificada no processo licitatório.

A SSP-BA explicou que a segunda empresa, que inicialmente forneceria as bodycams, foi desclassificada devido à sua incapacidade de atender às demandas especificadas no edital. Nesse sentido, a principal preocupação foi a inconsistência nas imagens geradas pelos equipamentos.

Agora, a próxima etapa do processo envolverá uma nova prova de conceito, com a supervisão de várias entidades, incluindo o Ministério Público (MP-BA) o Tribunal de Contas do Estado (TCE), outros órgãos oficiais do estado e Organizações Não Governamentais (ONGs).

Os aspectos que serão avaliados durante os testes, incluirão a qualidade das imagens e áudios captados durante atividades policiais preventivas e ostensivas, a autonomia da bateria, a resistência dos dispositivos, bem como a transmissão e o armazenamento das imagens.

O que são as bodycams?

As chamadas “body cams” ou câmeras corporais são dispositivos de gravação de vídeo portáteis que são usados ​​por agentes de segurança pública, como policiais, guardas de segurança e outros profissionais que precisam documentar suas interações e atividades em serviço. Essas câmeras são geralmente fixadas nas fardas ou uniformes dos agentes e registram áudio e vídeo em tempo real.

Em outras palavras, o objetivo das câmeras é registrar evidências em vídeo durante as interações entre agentes de segurança pública e o público em geral.

Como resultado, as bodycams têm sido adotadas em muitas agências de segurança como uma medida para aumentar a transparência e a responsabilidade.

A presença de uma câmera pode incentivar tanto os agentes quanto o público a se comportarem de maneira mais civilizada durante encontros, sabendo que suas ações estão sendo registradas.

Blog do Halder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *