Assault (Carro Forte)

Spotify considera remover conteúdos que exaltam facções criminosas e violência

Blog Brasil Geral

O Spotify, a maior plataforma de streaming de música do mundo, está ponderando a remoção de conteúdos que glorificam facções criminosas, crimes e drogas. Esta medida surge após crescentes preocupações com a disseminação de músicas que fazem referência ao PCC e ao CV. Além disso elas descrevem sequestros, assassinatos de policiais e rivais, e o uso de substâncias ilícitas.

Tanto os usuários pagantes quanto os gratuitos têm então acesso a esses conteúdos controversos. Contudo segundo o jornalista Paulo Capelli, a equipe de conteúdo do Spotify está revisando minuciosamente as músicas. Aquelas que incitarem ou promoverem violência entre facções podem então serem banidas da plataforma.

Além das músicas de artistas, centenas de playlists com nomes ou referências às facções também estão sob escrutínio. Entre elas estão “Relíquias do Comando Vermelho”, “Proibidão do CV”, “PCC Funk Proibidão” e “É o 1533” – uma referência ao código numérico do PCC.

A medida poderia afetar artistas como o rapper Oruam, filho de Marcinho VP, que cumpre pena de 44 anos por homicídio qualificado e formação de quadrilha. Uma das músicas, “Assault (carro-forte)”, em colaboração com Orochi, Borges, Bielzin e Chefin, está entre aquelas que poderiam ser removidas. Outros cantores que podem perder músicas na plataforma incluem Poze do Rodo, MC Primo e MC Zoio de Gato.

Blog do Halder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *