Papa

Vaticano condena barriga de aluguel, mudança de gênero e outras questões

Mundo Notícias Gerais

Sob a liderança do Papa Francisco, o Vaticano divulgou um documento intitulado “Dignitas Infinita”, que identifica várias questões, incluindo cirurgias de mudança de sexo, aborto, eutanásia, barriga de aluguel e abuso sexual, como “ameaças graves à dignidade humana”. A publicação foi aprovada pela ala conservadora da Igreja Católica, liderada por bispos africanos.

Barriga de aluguel. O pronunciamento do Vaticano reforça a posição do Papa Francisco. Denominando a prática da barriga de aluguel como “desprezível” e violadora da dignidade da mulher gestante e da criança.

Mudança de gênero. Os bispos alertam que as intervenções de mudança de sexo representam um risco para a dignidade que cada pessoa recebe desde o momento da concepção.

Aborto, eutanásia e pena de morte. A declaração reitera a condenação do Vaticano ao aborto, eutanásia e pena de morte. Citando tanto o Papa Francisco quanto os antecessores Bento XVI e João Paulo II, além de documentos anteriores da instituição.

Abuso sexual. O documento classifica o abuso sexual, inclusive dentro da própria Igreja Católica, e a violência contra as mulheres como ameaças à dignidade humana. Também menciona o cyberbullying e outras formas de abuso online como preocupações semelhantes.

Reações nas redes sociais. O assunto gerou repercussão nas redes sociais, com muitas pessoas expressando insatisfação, especialmente em relação à questão de mudança de gênero. Uma usuária do X comentou: “É bastante contraditória essa posição do Vaticano… Não à ideologia de gênero, mas defende os direitos das pessoas LGBT”.

Além das questões mencionadas, o documento destaca preocupações adicionais como pobreza, migração, violência contra mulheres e tráfico humano, conforme solicitado pelo Papa Francisco. O cardeal Victor Manuel Fernández, chefe do Gabinete de Doutrinamento do Vaticano, divulgou o documento, enfatizando a posição oficial da Igreja Católica sobre questões contemporâneas relacionadas à dignidade humana.

Blog do Halder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *